sexta-feira, 10 de julho de 2009

Resto-zero!

Hoje numa conversa com amigas, por entre os temas habituais que não necessitam de apresentações, falou-se da aventura que é pôr fim a uma relação amorosa. É um processo moroso, uma divisão que busca o "resto zero".

A minha questão é a seguinte: como é que é possível alguém querer um "resto zero"? A base de uma relação deve estar assente numa amizade sólida, se por motivos de força maior duas pessoas não podem ser amantes...que permaneçam amigos!
Mas a maioria não pensa assim e o resto não o põe em prática.

Não sei, faz-me confusão. Se partilhei a minha vida com essa pessoa, se me mostrei com transparência, se lhe dei a chave para todas as portas custa-me dividir assim tanto.

Talvez a pegada que deixamos no outro não seja tão grande como pensamos (ou desejamos). Se calhar uns pisam com mais força que outros...

Seja como for... eu acredito nos restos!

5 comentários:

Anónimo disse...

acredita nos restos e podes sempre reconstruir o que desmoronou.

Mary disse...

depende como tudo aconteceu, a falsidade de alguem que poderias julgar ser "tudo" pode deitar tudo por chão de uma vez por todas... eu optei assim no dia em que me deixou, ainda fui á luta uma, duas, três vezes mas por muito amor que sentisse a minha capacidade de pensar mostrou-me que existem coisas que não são tão perfeitas como as via... doeu muito, só deus sabe o quanto sofri, mas orgulho-me de todos os dias ir superando... onde para ele?? não sei não faço a minima ideia... que deus lhe de o dobro do que me fez sobrer... é o que eu penso muitas vezes, mesmo que não seja o correcto

Videl disse...

Concordo contigo Mary, temos que saber seguir em frente, principalmente se "o outro" não merece a luta por um resto, nem que seja só a amizade.

No entanto noto que algumas pessoas desligam-se facilmente!

E acontece-me com frequência sentir a falta de alguns amigos que só me apercebi que o eram depois de perder o contacto com eles!

Natty disse...

Eh engracado, estou a passar precisamente por isto e nenhum dos meus amigos acredita q eu e o meu ex possamos ser amigos.
Quem ama de verdade abre mao. O importante e saber que o objecto da nossa adoracao esta feliz. De alguma maneira isso traz-nos paz e a ferida de vagarinho vai curando. Nunca se esquece um amor verdadeiro. E ao fim de varias relacoes posso dizer que na minha ultima encontri a minha alma gemea. Nao lutei por ele, nao me arrependo. Doi saber que o deixei voar, mas foi isso que me pediu, eu deixei. E por isso podemos continuar a ser amigos. Nao nego que nao deseje de todo o coracao que um dia voltemos, mas se nao for esse o destino estou aberta para novas aventuras. Nunca o vou esquecer porque ainda temos algo muito especial que so nos entendemos...... acho q eh essa a diferenca entre o amor verdadeiro e a paixao. O amor liberta e nao oprime.

aproveita os teus amigos e nunca os deixes em segundo plano na tua vida. homens vem e vao, alguns ficam para sempre mas na categoria de anjo da guarda.

e rebound sex tb n ajuda......faz o que sentes, teu coracao sabe tudas as respostas para as perguntas dificeis da vida.

let go babe!
beijos

Videl disse...

Alo Natty! :)

Olha, felizmente aprendi cedo que os amigos, quando o são verdadeiramente, ficam para sempre.

Quando digo «eu acredito em restos» não quero dizer que há sempre motivo para prolongar uma relação, ou que temos sempre que tentar espremê-la até à última gota... longe disso!!

Mas eu sei que o tempo tem o dom de apagar da memória todos os maus momentos...ou pelo menos esbatê-los! Como resultado vamos sempre recordar o que de melhor o outro nos deu, e isso sim são restos e são importantes porque parte de nós foi construída sobre eles!

No que toca a tomar decisões, concordo contigo, o coração tem sempre as respostas (quer as queiramos ou não).

:)
Um beijo*